sexta-feira, 12 de outubro de 2018

O que esperar do live action de Aladdin?


Aladdin é tão velho que a minha memória mais recente da franquia é a serie animada e aquele jogo de nintendo. Eu assisti o filme? Provavelmente, mas não lembro. Mas enfim, não é segredo que eu não gosto de live actions de filmes da Disney, porque eles são só uma estratégia de tirar dinheiro fácil a partir de nostalgia, e isso resulta em um produto final raso, que não captura a essência do filme original. Eu acho que os filmes animados cumprem muito bem o que eles propõem, com defeitos e tudo.

Mas o que eu achei do teaser? Ele traz muita vibe de uma aventura epica no estilo de A Múmia. O filme em si vai manter essa impressão? Provavelmente não. O visual está interessante, embora o elenco não tenha me impressionado muito. Vai ser interessante assistir esse filme sem a memoria afetiva que eu carregava de outros filmes como A Bela e a Fera.

Aladdin chega aos cinemas em Maio de 2019


quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Avatar vai ter série na Netflix


Por incrível que pareça, eu não odiei o live action de Avatar de 2010. Claro que eu não achei bom, e cada vez que eu vejo alguma análise do filme me é reforçado o quão não bom ele é. Mas naquela época eu não tinha tanto ódio no coração, então eu achei ele simplesmente esquecível. E nada pode apagar a grandiosidade do desenho original.

Agora em pleno 2018, temos a noticia de que a Netflix ai fazer uma série em live action, e está todo mundo feliz pelos criadores originais estarem envolvidos, o que diminui a chance da série vir com whitewashing. Entretanto, eu não estou 100% confiante quanto à produção, pois nunca se sabe o que se pode esperar de adaptações vindas do serviço de streaming. Suas produções originais costumas ter boa reputação, mas suas adaptações por outro lado, nem tanto. E eu acho Avatar um desenho brilhante. O roteiro engloba com muita sutileza assuntos que poderiam ser considerados muito polêmicos, desenvolvimento de crescimento de personagens muito bem feitos, uma ótima mistura e equilíbrio entre drama e humor, e cenas de ação sensacionais. Cada vez que eu re-assisto a série eu me impressiono como a série é brilhante, quase como se eu estivesse assistindo pela primeira vez.

Ela possui vários triunfos que não são fáceis de se conseguir, e menos para adaptar em outra mídia. E só o envolvimento dos criadores originais não é garantia que saia algo tão bom. O envolvimento deles não evitou que A Lenda de Korra fosse um fiasco, pois Korra é sim muito inferior à Lenda de Aang.

Mas eu estou 50% otimista. Tem boas chances de sair algo legal dai, e com o live action Avatar vai voltar a ser assunto na internet, e é sempre bom que ele se mantenha na boca do povo, pois avatar nunca é demais.

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Saiu o teaser do reboot de She-Ra


Eu realmente odeio quando os sites de noticias anunciam um teaser e falam que se trata de um trailer. São duas coisas diferentes e as pessoas geralmente esperam que um teaser mostre o conteúdo esperado em trailer e as coisas não são bem assim. Mas, isso é só um pequeno incomodo meu.

Coisa rápida pois eu não tenho muito o que comentar, mas foi divulgado hoje o teaser na nova animação da She-Ra, e eu já mencionei como eu achei bem inconsistente o design de personagens, e pelo visto isto se estende à animação também, pois eu definiria como "padrão Dragon Ball Super de qualidade". E a imagem que eu usei pra ilustrar esse artigo ainda é um bom frame. Esse é um estilo que que ser detalhista e minimalista ao mesmo tempo. E mesmo um desenho minimalista como Steven Universe ou Hora de Aventura, ainda possui a sua fluidez de animação.
A diferença entre essas imagens é de UM frame. Eles se lembraram que ela tem uma capa. 
O emblema do peito não é sequer simétrico.
Mas as pessoas podem questionar que isso é animação "between frames", e não, não é. Uma sequencia inteira não é feita de ângulos mal feitos. Esses desenhos mal feitos são colocados no meio da linha de ação pra dar uma ideia de  movimento mais rápido ao que está acontecendo. Essa sequencia ali tem um ritmo comum. Nada fora do normal. E ainda assim não parece a obra final. Como se essa fosse a animação base usada no animatic. Ou como na primeira imagem, a capa aparecer de um frame pro outro não é parte da transformação, pois ela deveria aparecer junto com a cena em que o traje aparece no corpo da Adora. E não é o que acontece, ela simplesmente aparece ali.

Eu ainda acho que a Rebecca Sugar ou a Natasha Alegri tem um estilo muito melhor para essa animação, pois elas conseguem dar leveza e fluidez aos traços simplistas, sem parecer que estão mal desenhados. Pois sim, She-Ra é mal desenhada. O cabelo, a tiara, a roupa, o rosto, tudo é assimétrico e inconsistente e dá um ar de algo não terminado à produção.

E por sinal, a voz da She-Ra é bem irritante.

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Teen Titans Go vai mal em bilheteria. E agora?


O filme dos Jovens Titãs em Ação só vai chegar nos cinemas brasileiros 30 de agosto, mas já saiu nos EUA e a arrecadação na estreia não foi das melhores, totalizando 10 milhões no final de semana e conquistando a 5º posição nos cinemas. Mas o que isso significa?

Primeiramente, filmes em animação 2D não atraem público e isso já vem desde muito tempo, ainda mais quando é baseado em um desenho que originalmente para tv. Até a Disney resolveu abandonar produções nesse estilo por conta da arrecadação baixa na bilheteria, e se até a Disney tem problemas pra emplacar um filme assim, não é um desenho do Cartoon Network que vai mudar isso.

Segundo, o público alvo desse desenho são crianças. Mas não são crianças que vão no cinema, e sim os seus pais que os levam para assistir a um filme. Não acho que crianças estariam loucas a ponto de insistir para ir ver na tela grande, uma coisa que já passa diariamente na tv, e pais geralmente não vão querer que os filhos assistam algo tão abestalhado. E isso leva ao terceiro ponto. Os fãs originais são fiéis.

Toda vez que lançam um reboot, seja She-ra, Thundercats, Megaman, sempre tem aquela pessoa pra defender dizendo "é para crianças não pra você", e se esquecem completamente que os fãs consolidados de tal franquia são uma grande fatia no consumo do produto. Uma fatia que é deixada de lado pelos produtores, por serem focados demais em um único publico alvo. Teen Titans Go foi odiado desde o começo da sua exibição, e todo mundo adorava tirar sarro dos virjões que ficam chorando com um desenho infantil, o próprio desenho lançava umas alfinetadas, e agora eles estão vendo a falta que esse público faz.

O filme certamente teria faturado melhor se fosse baseado na série original, porque hoje em dia o fator nostalgia em cima dele é muito forte. É esse mesmo fator nostalgia que faz os canais pedirem por reboots de desenhos antigos, porque eles sabem que um nome já conhecido vai chamar mais a atenção, do que criar algo do zero e torcer que faça sucesso.

Agora, desde muito tempo o desenho vem alfinetando como ele seria a porta de entrada para o retorno da série original dos Titãs. Uma dubladora havia mencionado no twitter como se esse filme fosse bem nos cinemas a série original poderia voltar, e tem a famosa cena pós credito em que mostram os heróis, nos estilo clássico, dizendo que acharam um jeito de voltar. Nem essa chantagem toda foi suficiente para que as pessoas fossem apoiar o filme. As pessoas geralmente não gostam de ser chantageadas, sabe Warner. Mas e agora? Isso mostrou ao estúdio como o povo gosta mais dos Titãs clássicos do que o Go? Ou eles vão usar isso como desculpa para dizer que eles não gostam o bastante e resolverem enterrar o projeto de retorno de vez? Só o tempo dirá.

Eu não acho que precisaria ser uma nova temporada, ligada diretamente com as anteriores. Desenhos do Batman e da Liga da Justiça tiveram várias versões diferentes e ele podiam muito bem fazer o mesmo com as histórias dos Titãs. Até lá, a unica coisa que está aí para manter o hype do retorno dos Jovens Titãs é a futura série de tv. Que mal estreou e já está indo por água a baixo.

sábado, 28 de julho de 2018

Tartarugas Ninja é tudo o que eu pensava


O Despertar das Tartarugas Ninjas só vai estrear em Setembro, mas a Nickelodeon divulgou o primeiro episódio dublado, e inclusive já foi renovado para uma segunda temporada.E sabem o que é triste? Eu realmente queria gostar desse desenho. Queria mesmo. A animação é bem feita, os ângulos usados são dinâmicos, a palheta de cores é boa, a dublagem está inclusive bem feita. Mas ele é completamente descompromissado.

Como muitos desenhos atuais, o foco dele está no humor, tendo a ação apenas como uma desculpa, o que é um desperdício de talento. E sendo centrado no humor ele não se leva nem um pouco a sério. As tartarugas não tem problema em serem vistas por pessoas comuns, já que usam como desculpa estarem fantasiadas, e todos os personagens são um tipo diferente de pateta. Sabem como antes eles tinham personalidades diferentes? O pavio curto, o inteligente, o líder metido a sério e o palhaço? Agora todos são um tipo do palhaço. Até o mestre Splinter, que no episódio disponível a primeira aparição dele é enterrado no sofá assistindo gameshows japoneses e comendo porcaria. Exatamente o que você espera de um mestre em artes marciais certo? E as piadas não dão folga. Acho que tem o mesmo ritmo de piadas que Guardiões da Galáxia 2 (embora eu não tenha gostado do primeiro também, o segundo parece mais abobalhado ainda), onde eles colocam piadas atrás de piadas, e elas não funcionam. Eles realmente tentaram captar o tipo de humor escrachado de Animaniacs por exemplo, mas Animaniacs não era um desenho de ação, e mesmo as cenas de ação não deixam de ter piadas, porque como eu disse, o desenho não se leva a sério. Ele não quer se levar a sério.

As pessoas gostam de reclamar como todos os desenhos hoje em dia são iguais, mas o problema deles não é ser parecido esteticamente, mas sim o estilo de roteiro. Tudo precisa ser engraçado, abobalhado e apressado, mas onde está o diferencial? Por que não podemos ter mais de uma opção de desenho? Onde está a variedade? O Despertar das Tartarugas Ninja tem muito potencial, mas ele não vai nem tentar explorar isso.

sábado, 21 de julho de 2018

Saiu o trailer de Mega Man


A nostalgia tá forte né. A gente vai ter She-ra, Thundercats, vai ter filme dos Rugrats. Nada mais se cria, de tudo se faz reboot. Quando anunciaram esse desenho o eu único pensamento foi: "o desenho inteiro não vai ter sequer a mesma emoção da abertura do desenho dos anos 90". Aquela abertura é incrível. Apresenta os personagens, a animação é fluida e energética, e a música extremamente marcante. O ponto mais alto de muitos desenhos dos anos 80/90 era justamente a abertura. E não era comum a abertura ser incrível, mas o show em si, mediano. Thundercats era um exemplo e sinceramente, não lembro muito como era o desenho do Mega Man, nem em questão de roteiro, nem em ação. Certamente também era capenga. Meus "óculos de nostalgia" não me impedem de criticar coisas que eu adorava, eu inclusive tinha uma série aqui no blog onde eu re-assistia animações que eu adorava, e os julgava com os olhos que eu tenho hoje. Eu deveria voltar a fazer isso.

Então, o que eu achei do trailer do novo desenho de Megaman que traz o nome Mega Man: Fully Charged? Eu achei mediano. Eu achei que eu ia odiar imensamente, o que sempre é um exagero. Muitas das animações que eu critico e acho que vão ser ruins, não me causam aversão o bastante para dizer que eu ODEIO. Eu sinto no máximo uma decepção grande, pois é um desenho a menos que eu vou assistir, e eu sempre quero ver desenhos novos. Mas Mega Man eu achei até interessante, e fiquei curiosa o bastante para dar uma chance. O design do Mega Man melhorou um pouquinho, pois quando saiu a primeira imagem do reboot eu detestei como ficaram as proporções, e o trailer apresentou ação o bastante.

Eu não gosto de desenhos em CG. Quando em filmes pra tela grande, eu vejo sem problemas, mas com séries para a tv, eu as vejo com qualidade inferior. Isso não me impede de assistir, eu acompanhei por muito tempo as Tartarugas Ninjas de 2012, mas ela tinha uma charme estético, e o cg de Mega Man parece simples e genérico demais. Ver o trailer me lembrou daquele joguinho do Subway Surfers. A movimentação é um pouco rígida e lenta demais, e tem cara de ser desenho do Gloob. Bem infantil e bobinho. O que não é um problema, mas as vezes eles perdem oportunidades de correr certos riscos por conta disso.

Mega Man: Fully Charged estreia em 5 de Agosto dos EUA, sem data no Brasil e por enquanto. Eu estou bem indiferente quando ao desenho, mas quem sabe eu dê uma olhada mais a finco.


segunda-feira, 16 de julho de 2018

Analisando imagens da She-ra


Saíram imagens bem ruins do novo visual da She-ra, um reboot pela Netflix, mas dando uma pesquisada no tumblr eu achei imagens em boa resolução que mostram inclusive a heroína à paisana, sem o uniforme e bem... o show não parece ruim!

Veja bem, o problema que eu tenho com esse desenho, é justamente essa imagem que ilustra esse artigo. Deixa eu expressar  a minha opinião baseada puramente no ponto de vista artístico.
1 - Ela está com um corpo masculino. Não tem como não olhar e pensar que não parece um corpo de homem. Não se trata nem de questão de ser uma mulher atlética, coisa que apontei no meu twitter, mas isso é sim um "how to draw" básico de figura masculina.
2- O uniforme é brega. Eu entendo como ele é altamente inspirado no uniforme de Utena, e eu realmente acho o modelito da Utena bem bonito, e a parte do peito e pescoço lembra muito também o estilo de roupa das Guerreiras Mágicas, mas o acabamento dele mais parece uma fanart do que um trabalho profissional. Essas ombreiras quebram totalmente o estilo do uniforme, o que é engraçado uma vez que os uniformes das guerreiras mágicas usam muito ombreiras enormes, mas o Clamp sabe dar delicadeza ao desenho, e aqui na She-ra, parece desengonçado e não prático.
3 - O design é inconsistente. Eu não conheço muito do trabalho da Noelle Stevenson fora a sua comic Lumberjane, mas me parece que ela não consegue equilibrar muito a consistência de estilo, e passa a impressão que ela ficou no meio do caminho entre o cartunesco e o realista na hora de criar esse uniforme. A parte do cabelo e tiara parece muito um produto que ainda está em fase de pré produção, inacabado, e não condiz com o resto do corpo, que aparenta ser mais realista, mas a falta de detalhes causa uma estranheza.


Por outro lado, nessas imagens acima, o estilo é consistente, bonito, bem acabado, bem equilibrado entre o realismo e minimalismo. A She-ra tem seios! O que é estranho considerando que aqui ela parece mais jovem que na versão de heroína, com roupas mais frouxas e que são capazes de esconder melhor a silhueta feminina. Um colante não forma a silhueta peitoral como é vista nos quadrinhos e vídeo game, mas a menos que você esteja usando um binder, ele não deixa o peito completamente reto como se seios não existissem.

De qualquer forma, vou ter que esperar o desenho sair na Netflix pra eu ter uma opinião formada. Por enquanto essa produção parece muito confusa.